terça-feira, 22 de janeiro de 2008

O PRÓS E OS CONTRAS APAGOU MAL OS CIGARROS !!


Incrível como se goza descaradamente, em horário nobre e no canal estatal, com os empresários da restauração d0 nosso país.

No Prós e Contras desta 2ª feira, com o sugestivo tema - " Cigarros Apagados " -, foram feitas várias perguntas da parte dos vários intervenientes, direcçionadas ao director geral da saúde, Francisco George, com o intuito de perceberem quais os aparelhos de ventilação e extracção de fumo de tabaco a serem utilizados, nos estabelecimentos hoteleiros com menos de 100 metros quadrados, que optarem pelo SIM ao fumo de tabaco no seu interior.

Se existe alguém em Portugal, com autoridade neste determinado assunto, em todos os níveis, essa pessoa é o senhor Francisco George.

Na verdade, esta eminência Parda, além de não ter respondido ás questões, usou a mais cínica e letal arma do político - a Demagogia Política.

O senhor Francisco George é sobretudo um Político, e só depois o Director Geral da Saúde.

E como político que se preze, está comprometido até á ponta dos seus grisalhos cabelos, com o poder que o colocou naquela direcção.

Como dizia Lincoln no século XIX, " é sempre possível enganar uma pessoa; é também possível enganar todos, mas de uma só vez; mas que é impossível enganar sempre todos.
O cão que aparece na figura acima, cansou-se da demagogia do exmo senhor e não esteve com meias medidas...foi xonar.

1 comentário:

Miguel Brito Santos disse...

Tem toda a razão o senhor Francisco George já nos habituou ás explicações atabalhoadas e incoerentes. Infelizmente é apenas mais um exemplo de um político cá do burgo.
Mas também ele está ao nível do povo que governa, um povo ignorante e sobranceiro que não sabe distinguir o bem comum do seu bem-estar próprio, ou seja, egoísta.
É óbvio que a lei pretende defender o bem comum, os cidadãos em geral e não uma faixa da população em detrimento de outra (ainda que os direitos da outra faixa, a dos não fumadores, tenha sido sistematicamente violentada pelos fumadores).
Quanto ás perguntas sem resposta que os senhores da ARESP não obtiveram segundo o prezado "blogger", sugiro-lhe que reveja o programa, e escute os técnicos e não entre na demagogia daqueles que são de facto demagogos profissionais como o senhor Sá Fernandes que demonstrou que não conhece a lei, não conhece o espírito da lei, e não se importa minimamente com as pessoas, apenas lhe interessa defender o seu direito a fumar.
Quanto aos senhores da ARESP têm que voltar ao ensino básico aprender a fazer contas e perceber que se existem 20 a 25 porcento de fumadores e que os restantes são não fumadores, então provavelmente o seu público alvo cresce se optarem pelo dístico vermelho em vez do dístico azul. Apenas terão que reaprender algo que esqueceram, têm que promover o seu produto que é o que todas as pessoas fazem quando têm algo para vender: promovem. E digo isto com propriedade, porque na verdade, eu e a maior parte dos não fumadores evitamos os cafés e restaurantes por causa do tabaco, daí que o argumento que a ARESP usa de que perderá clientes e a consequente receita, pode ser verdade num primeiro momento, enquanto os não fumadores não se acomodarem a esta nova realidade, e enquanto os sócios da ARESP não perceberem que chegou a vez deles contribuírem para o bem estar comum.